Para que serve o inglês fluente na vida real?

Na última semana, o seguinte post viralizou no Linkedin:



Como podem presumir, o desenrolar dessa história é quase surreal: a empresa brasileira ("Br", como chama o autor do post) o recusou com o argumento de "não ser fluente em inglês". Resolvi, então, fazer uma breve reflexão sobre o tema, que reescrevo abaixo:


"Como profissional da área de Ensino de Língua Inglesa, digo com tranquilidade que exigir inglês NATIVO de um NÃO-NATIVO é uma das coisas mais bizarras que acontece hoje em dia - especialmente no Brasil, mas não só!

O caso relatado pelo Igor é didático. Será mesmo que para usar inglês no seu dia-a-dia profissional você precisa de um nível de excelência comparável a o de um nativo da língua? Ou será que você precisa do inglês como INSTRUMENTO de comunicação, entendendo seus níveis de formalidade e expressões que te ajudem a desenvolver seu trabalho de forma eficiente e eficaz?

O aluno de inglês brasileiro tende a PARALISAR diante de uma entrevista em inglês por ter em mente esse tipo de conflito, fomentado muitas vezes por compatriotas que trabalham em RH e recrutamento. Temos que urgentemente discutir e mudar esse panorama!"


E você, caro(a) leitor(a)? Já passou por situação semelhante? E o que você acha sobre a exigência do inglês fluente para fins profissionais? Escreva sua opinião nos comentários abaixo!


3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo