Qual o seu "Universo Vocabular"?

O filósofo e educador brasileiro Paulo Freire cunhou a expressão "Universo Vocabular" para desenvolver seus métodos. A definição, que eu, particularmente, gosto muito, é simples: trata-se das palavras mais usadas por uma pessoa. Essas palavras revelam o contexto no qual essa pessoa está inserida, seu modo de pensar e entender o mundo. Com isso, é possível que o educador faça um diagnóstico preciso sobre necessidades de aprendizado do aluno, pontos fortes e pontos fracos também.


A pergunta que quero levantar aqui, caro(a) leitor(a), é a seguinte: você presta atenção ao seu universo vocabular? Porque, se não presta ou nem nunca atentou muito para isso, pode ser um bom caminho começar a considerar olhar para as palavras que você usa diariamente na sua língua materna para que elas te ajudem a melhorar o seu segundo idioma - no caso, aqui, o inglês.


Uma língua nova é, afinal, uma nova perspectiva, uma nova forma de pensar.

Acredite: na sua cabeça, fará muito mais sentido adaptar o seu universo vocabular de um idioma para o outro do que se forçar a aprender ou decorar palavras que para você não acrescentam nada à sua forma de pensar e entender o mundo. Uma língua nova é, afinal, uma nova perspectiva, uma nova forma de pensar.


Portanto, fica aqui a singela dica deste professor que vos fala: o vocabulário que é seu, que te pertence e que traduz seus pensamentos é o caminho, e, talvez, a grande luz que pode te guiar na aprendizagem de um novo idioma.

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo